3 maneiras de melhorar a distribuição do mercado de saúde e bem-estar

Com tantas opções de pontos de vendas e com a constante abertura de novas lojas no setor, obter uma distribuição do mercado de saúde eficiente, de todas as categorias e famílias de produto dentro dos moldes tradicionais, tornou-se um grande investimento e uma enorme complexidade operacional sem garantia de sucesso. Sendo assim, para aumentar ou garantir seu “market share” e o retorno sobre as vendas, um desafio constante da indústria farmacêutica e do mercado de saúde e bem-estar é melhorar a capilaridade e a penetração de seus produtos.

De uma só vez, a Anvisa concedeu autorização para o funcionamento de 1.350* novas farmácias. Um desafio de gestão e tanto para o marketing farmacêutico definir as melhores estratégias de trade marketing nos pontos de venda. Não obstante, uma farmácia de médio porte, tem cerca de 5 a 7 mil itens por loja para administrar. Já uma grande rede, pode superar a 10 mil itens no portfólio.

Para ajudá-lo a tomar a melhor decisão no planejamento de vendas, listamos três maneiras de melhorar o processo de distribuição, aumentando as vendas e reduzindo rupturas.

1. Entenda o comportamento de consumo do mercado

Parece uma regra básica, mas muitas indústrias pecam na etapa de planejamento e estudo do comportamento de consumo e distribuição de cada produto. Tenha em mente que as regiões não são iguais, elas possuem dinâmicas diferentes, competidores distintos e canais de distribuição que se adaptaram a eles. Se em algum momento você ficou fora do jogo é hora de voltar para ele. Entenda o comportamento regional de seu mercado e procure entender as alternativas de distribuição mais eficientes para estes mercados.

2. Gerencie as categorias

Consultorias especialistas em demanda informam que, anualmente, são lançados, em média, 20 mil novos produtos no Brasil. Diante disso, é importante ajudar o varejo no processo de gerenciamento das classes de produtos. Entender o gerenciamento de categoria, a demanda e força de suas marcas, é uma prioridade. E não se esqueça: auxiliar na gestão dos estoques do varejo é e sempre foi uma responsabilidade estratégica da indústria.

3. Controle o fluxo de informações em tempo real

Ter o controle realtime dos negócios e entender o comportamento de suas vendas possibilita agir rapidamente para explorar as oportunidades, bem como, promover o ajuste de rotas, sem causar impacto ao negócio. Tempo é dinheiro e gerir o trade significa gerenciar investimentos com precisão. A tomada de decisão precisa ser rápida e acertada, e ela é a grande aliada da reposição eficiente de estoques.

Leve em consideração esses pontos para aumentar a capilaridade dos produtos de forma assertiva e garantir bons resultados para o seu negócio.

*Fonte: Guia da Farmácia, abril/2019 (https://guiadafarmacia.com.br/prazo-de-30-dias-para-abertura-de-novas-farmacias-surte-primeiros-efeitos/)

Compartilhe: