Planograma para farmácias: um guia completo para otimizar suas vendas

Você já reparou no comportamento das pessoas que entram na sua farmácia? Se sim, já deve ter se deparado com alguém procurando por um produto em um lugar, mas na realidade ele estava em outra localização completamente diferente.

Esse tipo de situação pode ser um alerta para como o planograma da sua farmácia está organizado. Pode parecer um problema pequeno, mas faz toda a diferença na hora de otimizar suas vendas.

É muito comum que gestores de farmácias pensem na exposição dos produtos com base em “achismos” e suposições de acordo com experimentações e não de acordo com a visão do shopper. Acontece que isso pode colocar em risco o faturamento do negócio.

Vamos conversar mais sobre esse assunto, entender de fato o que é o planograma da farmácia, para que ele serve e um guia completo de como montar o seu.

O que é planograma para farmácia?

O planograma nada mais é do que um desenho que guia a exposição e disposição dos produtos na farmácia. Ou seja, ele funciona como uma ferramenta de Gestão de Categoria, exemplificando o espaço que será ocupado por cada uma delas nas gôndolas, prateleiras etc.

Um bom planograma para farmácia é fundamental para melhorar a visualização dos produtos de forma correta, agradável e organizada, melhorando a experiência de compra dos seus clientes.

Além disso, é importante para saber a quantidade correta de cada item, marca e apresentação que deve estar nos expositores e ainda estabelece como as embalagens devem ser expostas de acordo com tamanho, formato e cor.

Assim, você cria mais oportunidades para que o seu cliente visualize e conheça outras opções de produtos correlatos, similares ou complementares sobre uma categoria, impactando diretamente nos itens da cesta e no ticket médio.

Veja alguns objetivos do planograma para farmácia:

Assim, o planograma da farmácia é essencial para as estratégias de trade marketing e merchandising para o PDV.

Como montar um planograma para farmácia?

Montar um planograma para farmácia deve ser uma tarefa de prioridade para o gestor e levar em consideração diversos fatores diferentes para que seja eficiente. A seguir, explicamos esses pontos em um verdadeiro guia completo para otimizar suas vendas por meio do planograma.

1.     Preste atenção na legislação

O primeiro passo é ter certeza de que você conhece a legislação que restringe a exposição de medicamentos para evitar problemas com a fiscalização.

Por exemplo, produtos tarjados são proibidos fora do balcão e, em algumas cidades, até mesmo os Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) não são permitidos na seção de autosserviço.

2.     Avalie os produtos


Produtos de sazonalidade:
em períodos de calor, aumenta a busca por protetores solares e labiais, hidratantes, loções pós sol etc. Já no frio, os consumidores procuram mais por antigripais, antialérgicos, umidificadores, lenços de papel, pastilhas para garganta etc.

Esse tipo de produto de “época” deve ser colocado em zonas quentes da farmácia e pontos extras, sempre focando lugares em que o fluxo de shoppers é maior.

Produtos de margem: produtos com maior rentabilidade financeira devem ganhar destaque, expostos no ponto mais “quente” da farmácia, geralmente, na altura dos olhos dos clientes, ao centro do expositor.

Produtos de giro: classifique seu estoque e identifique os produtos que têm maior volume de saída na sua loja. É comum que eles tenham menor margem de lucro, mas é importante dar um espaço importante nas prateleiras, sem dar destaque apenas a eles, buscando o equilíbrio.

Produtos lançamento: durante os primeiros 30 a 45 dias após o lançamento, os produtos novos precisam de uma exposição diferenciada, com destaque nas prateleiras para que o shopper possa identificá-lo facilmente.

3.     Conheça os tipos de mobília

Contar com móveis adequados para atender as necessidades de exposição dos tipos de produtos que são vendidos nas farmácias contribui bastante na hora de definir o planograma. Avalie o mobiliário disponível na sua loja, se eles estão de acordo com a legislação e se é necessário adquirir novos itens para suprir suas necessidades.

4.     Entenda a jornada de compra e tipos de clientes

Conhecer o perfil das pessoas que frequentam a sua farmácia é essencial para entender melhor os hábitos de compra. Considere a possibilidade de fazer uma pesquisa, converse com seus clientes e observe o comportamento de cada um na sua loja.

Além disso, a jornada de compra, ou seja, como o cliente se desloca pelos corredores, também deve ser levada em consideração.

Assim, fica mais fácil de definir e ajustar o sortimento dos itens e a exposição dos produtos de maneira mais efetiva.

5.     Fique de olho no mercado

Quantas vezes um cliente já chegou procurando por um produto que estava esgotado na sua farmácia? Muitas vezes, isso pode acontecer quando há mais procura do que o esperado, o que pode acontecer quando um produto é anunciado em campanhas com influenciadores, propagandas na TV, na internet etc.

E não basta apenas ter o produto, mas posicioná-lo da maneira correta na sua farmácia. Para não ser pego desprevenido, é muito importante ficar atento às tendências do mercado, analisar categorias em ascensão e lançamentos dos próximos meses para atender às expectativas dos seus clientes.

6.     Treine a sua equipe

Não adianta nada fazer um bom planograma se ele não for seguido corretamente. Por isso, treinar a sua equipe constantemente e garantir o comprometimento de cada colaborador com a manutenção do planograma é essencial.

Todos precisam entender os padrões estabelecidos no planograma e saber organizar os produtos de acordo com os critérios definidos.

Clientes mais satisfeitos, diminuição de rupturas, otimização de vendas e facilidade na reposição dos produtos são apenas alguns dos benefícios que um bom planograma para a farmácia pode trazer.

Atualize-se constantemente e garanta sempre um sortimento adequado para a sua farmácia seguindo as orientações desse guia para ter um planograma de qualidade e ter ainda mais sucesso nas vendas.

Compartilhe: